Bernardo Carneiro: construindo uma equipe de sucesso

Construir e manter uma equipe de sucesso é um dos principais desafios de empreendedores e empreendedoras pelo mundo. Então por onde começar?



Bernardo Carneiro é sócio-diretor da Stone, a principal fintech brasileira e que atualmente negocia as suas ações na Nasdaq, uma das principais bolsas de valores de Nova Iorque.


Atualmente, ele comanda a equipe de M&A e Inovação da empresa.


Sabe bem da importância da construção de uma equipe para o sucesso da empresa.


No texto de hoje, ele explica o passo a passo para o desenvolvimento de uma equipe de sucesso.


“Tudo começa com um propósito”


Para Bernardo, toda empresa ou time precisa começar pelo propósito, ou seja, um motivo claro para aquele negócio existir e aquele grupo de pessoas estarem juntos.


Com o propósito definido, é o momento de conectar com o processo de atração e seleção de pessoas.


Dessa forma, todos os times ou negócios que a empresa vier a construir estarão alinhados com o propósito.


Em seguida, chega a hora de definir a Regra do Jogo, também conhecida como Cultura Corporativa da empresa. São aqueles valores ou formas de se comportar que vão reger aquele grupo.


“Uma cultura forte será capaz de destacar os membros do nosso time na multidão”


Segundo Bernardo, tendo a cultura bem alinhada com seu time, ela acaba retroalimentando o propósito da empresa, além de transformar cada membro da equipe em um guardião da cultura e, assim, criando um organismo vivo, onde sempre as pessoas vão se aperfeiçoar, fortalecendo os valores e comportamentos aderentes a organização. “Quanto mais isso fica forte, mais solidifica o seu propósito”.


“Grupo unido com propósito claro é algo fundamental para uma equipe de alta performance”


A partir do momento em que todos esses itens estão bem solidificados, é hora de trabalhar nos itens de execução.

Bernardo explica que há várias formas de se fazer isso. Além de treinar a base, para ir sempre evoluindo as pessoas, é importante também criar desafios constantes, geralmente através de metas, para que essas pessoas queiram e tenham a obrigação de ser cada dia melhores.


“Quanto mais uma empresa faz isso, mais ela evolui e consegue efetivamente tirar aquela última gota, criando um organismo vivo que se autorregula, auto protege e que continua se desafiando e se desenvolvendo ao longo do tempo. E se você fizer isso com disciplina, vai ter um time vencedor”.


“Tudo aquilo que você fazia no presencial, deve continuar sendo feito no remoto”


Para Bernardo, há algumas formas para manter a cultura da empresa forte, mesmo durante o trabalho remoto.


Ele explica que na hora da seleção, há algumas rotinas que devem ser feitas. “Gostamos de contratar pelo que as pessoas são, tanto que na nossa seleção há um momento que chamamos de questionário de vida, em que conhecemos o que é importante para aquele candidato, quais são as conquistas dele e como ele conseguiu se desenvolver”.


Com esse formulário, é possível entender muito do comportamento do candidato. Com boas escolhas no momento da contratação, Bernardo explica que você terá toda uma base com propósito e valores alinhados, conectado com as pessoas do seu time.


“É claro que há momentos na seleção para olhar as competências técnicas do candidato, mas, na minha opinião, o erro de muitas empresas é contratar pela competência específica e demitir pelo que as pessoas são. Eu prefiro até ao contrário, afinal de contas, competências específicas você consegue desenvolver, mas se é um problema de comportamento, vai ser muito mais difícil de você modificar”.


“Os candidatos devem destacar itens que os façam únicos”


Para os candidatos, Bernardo indica que deve ser destacado em um currículo ou portfólio, os itens mais autênticos possíveis, algo que os faça únicos e mostre o potencial de se desenvolver e aprimorar ao longo do tempo.


“Por exemplo, se você pratica uma luta e por muitos anos foi se aperfeiçoando até chegar na faixa preta, isso demonstra seu potencial de mergulhar de cabeça em algo e querer evoluir para ser cada vez melhor”.


Segundo ele, o mesmo vale para um cargo dentro de uma empresa, por isso, devem ser destacados projetos ou áreas em que a pessoa mostrou essa capacidade de aprender. “O mundo vai mudar e essa é pra mim uma das principais caraterísticas que o mercado busca, se você tem disciplina, paciência e resiliência para ficar muito tempo em um assunto e se tornar bom nele, esse é um excelente indicativo para o recrutador”.